Autoclave  - Gravitacional - DOLPHINN
Dolphinn
Gravitacional
  • Destaque para suas linhas arredondadas arrojadas e comando de operação simplificado.
  • Robustez e acabamento, com excelente custo-benefício a baixo custo.
  • Opera com sensor PT1000 de pressão e sensor de temperatura conjugados.
  • Câmara de aço inox em peça única e sem soldas, com garantia estendida.
  • Indicada para clínica geral odontológica, veterinárias, podológicas, salões de beleza, cabeleireiros, estúdios de tatuagem e piercing.
  • Classe N gravitacional desenvolvida para esterilizar materiais sólidos embalados de uso imediato.
  • Baixo consumo de água destilada e de energia elétrica.
  • Construído conforme Norma EN13060:14 e ISO17665 1 e 2.
Dolphinn
Dolphinn
Gravitacional
Características
Especificações
Como Usar
Saiba +
Garantias
  • Painel de leitura frontal que indica temperatura e pressão, tecla de seleção de temperatura, seletor de válvula aberta-fechada, chave geral e piloto indicador de esterilização e erro.
  • Porta da câmara de aço inox com excelente acabamento e grande resistência a pressão.
  • Trava de fechamento da porta com dois estágios através de alavanca “pull and push”.
  • Guarnição de vedação da porta de silicone resistente a variação de temperatura e pressão e temperatura.
  • Câmara em peça única de aço 304 AISI (médico), vida longa, sem descontinuidade de material, totalmente isenta de vazamento e fácil de higienizar.
  • Câmara interna envolvida por lã térmica revestida que protege os componentes do calor.
  • Abastecimento direto na câmara de inox, com resistência submersa para geração de vapor saturado e pressão.
  • Sensor de temperatura PT1000 que resulta em ganho de qualidade no processo de esterilização.
  • Manômetro com sensor analógico para referência visual de pressão.
  • Seu processo de desaeração, através de duas pressurizações e despressurizações, cria condições ideais para esterilização ao eliminar bolhas de ar inclusive de dentro dos pacotes embalados. Onde houver ar não há esterilização.
  • Desenvolvida para realizar ciclos subsequentes, com excelente ganho de produtividade e tempo. Não precisa esfriar, basta completar a água e iniciar novo ciclo. Atende a grandes demandas de esterilização.
  • Secagem com porta minimamente aberta, através do calor residual da câmara de inox.
  • Voltagem: 220V
  • Frequência: 50/60Hz
  • Potência: 900W
  • Variação de pressão: 0,0kPa a 230kPa
  • Temperatura de esterilização: 121°C e 134°C
  • Tempo de esterilização: de 5’ a 20’
  • Tempo de secagem pré-programado: 30’
  • Secagem com porta minimamente aberta.
  • Capacidade da câmara de inox: 18 litros.
  • Dimensões da câmara: 245 x 352 mm.
  • Dimensões externas: 520 x 340 x 320 mm.
  • Dimensões embalagem: 600 x 390 x 360 mm.
  • Ruído: <50dB
  • Anvisa: 81663390004
Como é o bom funcionamento da Autoclave Dolphinn?

Tem a ver com suas instalações: fiação adequada (fio 4mm), tomada e disjuntor dedicados e bem dimensionados, bancada no nível, ventilação no entorno da máquina e tensão elétrica estabilizada.

Há duas categorias de autoclaves: as gravitacionais, que operam com água envolvendo resistência dentro da câmara, e as pré-vácuo, que operam com injeção de vapor e bomba de vácuo.

A Dolphinn está na categoria das gravitacionais Classe N, indicadas para materiais sólidos embalados ou desembalados, que pedem cuidados específicos no acondicionamento da carga a esterilizar.

    Nossas dicas práticas de esterilização com base nos Procedimentos Operacionais Padrão (POP), da Resolução RDC 15, da ANVISA:
  1. Fazer pré-lavagem do material contaminado, imediatamente depois do uso clínico. Quanto menor o tempo entre o uso clínico e a pre-lavagem, mais eficiente será sua limpeza.
  2. Depois da pré-lavagem, proceder à lavagem mecânica com detergentes e instrumentos adequados para este fim e água abundante em cuba profunda.
  3. Recomenda-se fazer lavagem ultrassônica dos instrumentais, imersos em água com aquecimento e detergentes enzimáticos, para potencializar sua limpeza profunda.
  4. A limpeza ultrassônica atua nos pontos onde a lavagem mecânica não alcança. Há grandes benefícios adicionais da lavagem ultrassônica como favorecimento da esterilização (sabe-se que material sujo não é esterilizável), minimização dos riscos de manchas e danos nos cortes, aumento da vida útil de instrumentais, redução de acidentes com perfurocortantes e ganho de tempo de mão de obra especializada. Não reutilizar o liquido enzimático.
  5. Fazer enxágue do instrumental depois do processo ultrassônico e secagem, inclusive nos pontos de difícil acesso, com jato de ar (pistola) isento de óleo.
  6. Se a secagem for feita com tecido, cuidar para que não solte fiapo e fibras. Estes mancham instrumentais durante o processo de secagem no final do ciclo de autoclavagem.
  7. Fazer inspeção visual com lupa de aumento de pelo menos 8 vezes. Se detectadas sujidades, repetir as etapas acima.
  8. No empacotamento, utilizar barreiras adequadas – a mais utilizada é papel grau cirúrgico – e seladoras com qualidade comprovada de solda (aderência do papel ao plástico) para evitar abertura (descolamento) de pacotes durante o processo de esterilização em autoclaves. Nossa recomendação são selagens com faixa de aderência de 12mm, conforme o padrão europeu.
  9. Não exagerar no tamanho do pacote para não dificultar o seu acondicionamento na bandeja e sua esterilização.
  10. Não exagerar na quantidade de instrumentos dentro do pacote para não forçar e nem romper as soldas durante o processamento e nem exagerar na quantidade de pacotes dentro da câmara de inox.
  11. Considerar que as cargas embaladas aumentam de volume durante o processo de esterilização e, quando muito carregado o espaço interno da câmara de inox, o processo de esterilização fica prejudicado.
  12. A técnica de acondicionamento dos pacotes dentro das bandejas é importante para favorecer ou prejudicar o processo de esterilização, bem como o processo de secagem no final de ciclo.
  13. Lembrar que as autoclaves gravitacionais, diferentemente das autoclaves a vácuo, dependem dos espaços laterais livres dentro da câmara de inox, e entre pacotes, para circulação de vapor e secagem no final do ciclo.
  14. Não misturar, no mesmo ciclo, materiais que exijam temperatura, pressão e tempo diferentes: plástico com plástico, metal com metal, por exemplo.
  15. No momento de selecionar o programa de esterilização, atentar para as instruções do fabricante do material a ser esterilizado, se 121°C ou 134°C. A seleção correta é importante para obter esterilização eficiente e evitar danos no material esterilizado.
  16. Colocar a Tanda Color em funcionamento e aguardar o final do ciclo completo.
  17. Abrir a porta, retirar o material e colocar em uso imediato ou armazenar em local seco, fresco e arejado.
  18. Recomendamos a leitura atenta da Resolução RDC 15, cujos Procedimentos Operacionais Padrão (POP) bem orientam sobre circulação de material e sua armazenagem depois de esterilizado.
  19. Só utilizar água destilada com grau de pureza superior a 92%, sob pena de o sensor eletrônico de pureza da água destilada, localizado no reservatório, atuar e abortar o processo.
  20. A utilização de água purificada por osmose reversa é altamente recomendável por ser superior até mesmo às águas destiladas de alta qualidade.
  21. Monitorar a qualidade de esterilização em autoclaves com indicadores químicos e biológicos.
  22. O indicador químico mais recomendado é o Classe 5 (ver ISO 11.140:1995). Consultar a Anvisa sobre indicadores químicos é recomendável.
  23. O indicador biológico deve ser utilizado semanalmente em clínica geral, diariamente em implantodontia e sempre após a manutenção da autoclave, antes de colocar em uso.
  24. Ficar atento às recomendações da VS-Vigilância Sanitária de sua cidade.

Conhecer todas as etapas de um processo de esterilização é importante para o usuário saber mais a respeito de seu produto.

A Autoclave Dolphinn é um produto de Classe N Gravitacional, conforme a Norma Internacional EN13060:14.

De forma bem sucinta, o processo de esterilização gravitacional passa por 6 etapas: acondicionamento e pré-aquecimento, aquecimento, esterilização, despressurização, secagem e fim de ciclo.

    Saiba Mais
  1. A acondicionamento e pré-aquecimento
    O equipamento pré-aquece a câmara de inox e transmite calor à carga empacotada, antes de atingir o ponto de pressurização. Ao iniciar o pré-aquecimento, retira simultaneamente o ar contido na câmara e na carga. A retirada das bolhas de ar se dá através das etapas de despressurização, antes do processo de saturação, base para uma qualificada esterilização, porque, lembremos, “onde houver bolhas de ar não haverá esterilização!”
  2. Aquecimento
    Ocorre através de uma resistência imersa na água destilada no interior da câmara de inox. Ao atingir o ponto de ebulição, inicia-se a geração vapor saturado e sua pressão dentro da câmara de inox sobe. O aquecimento procura atingir a temperatura selecionada, +121°C ou +134°C, dependendo da seleção do usuário no painel da autoclave.
  3. Esterilização
    Três parâmetros essenciais do processo entram em ação, dentro da câmara de inox: o tempo, a temperatura e a pressão. Ao atingir o patamar de esterilização – temperatura de 121°C e pressão de 110 kPa – o processo de esterilização se realiza em 20 minutos. Ou em 5 minutos, quando atinge temperatura de 134°C e pressão de 210 kPa.
  4. Despressurização
    Ocorre após o término da esterilização. A pressão positiva dentro da câmara de inox é aliviada, o vapor saturado é retirado e o processo de secagem da carga é iniciado.
  5. Secagem
    Encerrada a despressurização, inicia-se o processo de retirada da umidade residual na carga empacotada. Este é um ponto crucial no ciclo de esterilização, porque “pacote úmido é pacote contaminado”. Autoclaves que secam com porta fechada são mais eficazes. A regra é: secar ou secar!
  6. Fim do ciclo
    Terminada a secagem com porta fechada, abre-se minimamente a porta e se aguardam entre 3 e 5 minutos antes da manipulação das cargas. Quando este processo se dá com porta aberta, a secagem é por inércia ou calor residual e normalmente não corre a secagem ideal do instrumental embalado. Atentar para os procedimentos orientados pelo fabricante, antes da retirada do material estéril.
Garantia total de fábrica
checkmark

Conforme termos consignados no Certificado de Garantia do produto, por um período de 24 (vinte e quatro) meses contados a partir da emissão da Nota Fiscal pela Matriz ou pelo Distribuidor ou Representante Autorizado Woson ao consumidor final.

Garantia especial de fábrica
checkmark

Estendida apenas para a câmara de inox por um período de 120 (cento e vinte) meses contados a partir da emissão da Nota Fiscal pela Matriz ou pelo Distribuidor ou Representante Autorizado Woson ao consumidor final, incluindo os 24 meses da garantia total.

Decreto Municipal de Ribeirão Preto Nº118 - 24 de maio de 2021 Links Úteis