Biossegurança

UM JEITO DE PRATICAR SAÚDE

A biossegurança é um sistema e o controle da infecção é outro. O primeiro é mais amplo, o segundo é mais específico, mas a prática deste se reveste de conceitos e comportamentos em perfeita simetria entre ambos.

Segundo a ANVISA a biossegurança é uma área de conhecimento definida como: “condição de segurança alcançada por um conjunto de ações destinadas a prevenir, controlar, reduzir ou eliminar riscos inerentes às atividades que possam comprometer a saúde humana, animal e o meio ambiente” (negrito nosso). Neste sentido, biossegurança e controle da infecção são sinônimos em vários pontos. Como decorrência dessa simetria, existe uma postura Woson frente à Biossegurança e ao Controle da Infecção, através de seus conceitos e linha de produtos essencialmente voltada para ambientes de alto risco como consultórios, salas clínicas, laboratórios e hospitais.

O conjunto de ações preventivas busca eliminar ou minorar riscos relacionados a atividades de tratamento de saúde, produção, educação, pesquisa e desenvolvimento tecnológicos e prestação de serviços dentro dos ambientes odontológicos, médico-hospitalares e laboratoriais. A biossegurança adquire caráter crucial por serem estes ambientes considerados locais de alto risco de contaminação e, exatamente por isso, críticos.

Entende a Woson que o Controle da Infecção, para ser efetivo, exige um rigoroso protocolo de atos biosseguros, tal qual uma corrente em que cada ação equivale a um elo, todos igualmente importantes. Uma ação mal executada equivale a um elo rompido e, neste caso, a corrente de proteção contra a infecção não produzirá o efeito desejado.

Os elos desse conjunto tem uma relação de causa e efeito, concatenados e dependentes entre si. O profissional, na medida em que vai utilizando e contaminando um instrumento reutilizável, deve disponibilizá-lo para sua descontaminação imediata e, a partir daí, uma sequência se impõe: limpezas mecânica e ultrassônica, enxágue, secagem e inspeção visual de superfícies – reprocessamento se necessário – envelopamento ou empacotamento, selagem ou lacração, identificação e datação, esterilização seguida de secagem absoluta dos pacotes, nova inspeção visual dos lacres ou selamentos antes da armazenagem para posterior reutilização.

Planejamento também é Biossegurança

A Woson entende, também, que o projeto de construção de um consultório, clínica integrada, laboratório ou hospital exige cuidados vários, entre eles a localização e o layout da Central de Esterilização, de forma a facilitar e potencializar o correto Controle da Infecção. Essa localização deve ser estratégica para minimizar circulação de material contaminado do Centro Cirúrgico até a Central de Esterilização. Se possível, ambos devem estar contíguos e a transferência de material contaminado primeiro e esterilizado depois, se fará por guichés na parede divisória.

O layout da Central de Esterilização deve prever alas de entrada de material contaminado e de saída de material esterilizado, pronto para reuso no Centro Cirúrgico, ambas sinalizadas conforme normas da Vigilância Sanitária. Entende também que há outros cuidados coadjuvantes indiretos no Sistema de Biossegurança que devem ser contemplados no projeto: corredores de circulação de pacientes e profissionais, ventilação, iluminação, casas de máquinas em local apropriado à higienização e manutenção, qualidade e manutenção do fluxo do ar condicionado, qualidade de máquinas compressoras e rede de distribuição de ar comprimido dotada de filtros e pontos de expurgo estratégicos, instalações elétricas, hidráulicas e pneumáticas corretamente dimensionadas, ambientes de fácil e prática higienização, cuidados especiais com material de limpeza, sistema de expurgo e descarte de lixos comuns e hospitalar etc.

A Woson coloca sua infraestrutura de prestação de serviços à disposição da Saúde de forma integral. O sorriso é a nossa energia e o combustível que nos move.

Saiba Mais