Julho Amarelo Mês da Campanha de Conscientização das Hepatites Virais

Criado em 2010 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), 27 de julho é o Dia Mundial da Luta contra Hepatites Virais. O Brasil, através da Lei 13.802, em 2019 oficializou também a data com foco na informação, prevenção, testagem e tratamento, ao aderir à Campanha “Investir na eliminação da hepatite” nesse ano.

Já em 2020, o tema foi “Um futuro sem hepatite”, que tem, em 2021, sequência com a campanha “Julho Amarelo”, para reforçar as ações de vigilância, prevenção e controle.

Por que investir forte e sequencialmente na campanha de conscientização? Porque é a segunda doença contagiosa que causa mais óbitos no mundo, só perdendo para a tuberculose. No mundo são mais de 1.500.000 vidas sendo ceifadas. E no Brasil não é diferente.

Das hepatites, a mais grave é a C, uma inflamação no fígado causada pelo HCV – sigla do Hepacivírus – mas também pelo uso de alguns medicamentos, álcool, doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

É uma doença de caráter silencioso, que evolui sorrateiramente e se caracteriza por um processo inflamatório persistente no fígado. Aproximadamente 60% a 85% dos casos se tornam crônicos e, em média, 20% evoluem para cirrose ao longo do tempo. Uma vez estabelecido o diagnóstico de cirrose hepática, o risco anual para o surgimento de carcinoma hepatocelular (CHC) é de 1% a 5%. O risco anual de descompensação hepática é de 3% a 6%. Após um primeiro episódio de descompensação hepática, o risco de óbito, nos 12 meses seguintes, é de 15% a 20%.” (Ministério da Saúde).

Este é um desafio de Saúde Pública que ninguém pode ignorar. Combater é um dever e um compromisso social de todos, inclusive das empresas.

Por ser silenciosa, quando aparecem os sintomas da doença, ela já poderá estar instalada. Tais sintomas podem ser febre, fraqueza, mal-estar, dor abdominal, enjoo, náusea, vômito, queda de apetite, urina cor de café, fezes esbranquiçadas, icterícia etc.

A maior prevalência de hepatite C está entre pessoas com idade superior a 40 anos, nas regiões Sul e Sudeste do país. São mais vulneráveis à infecção pelo HCV pessoas submetidas a hemodiálise, privados de liberdade, usuários de drogas e portadores de HIV.

Se há vacinas para quase todas as hepatites, não existe para a C. Esse é um grande desafio no seu combate! A hepatite C tem como fonte principal de transmissão o contato com sangue, é a principal causa de transplante de fígado, de cirrose, de câncer no fígado e de óbito. Daí a importância de cuidados, meios e protocolos para evitar a sua transmissão.


O Ministério da Saúde nos dá conta de que as formas de transmissão do HCV podem acontecer por:

  • contato com sangue contaminado;
  • compartilhamento de agulhas, seringas e outros objetos para uso de drogas (cachimbos);
  • reutilização ou falha de esterilização de equipamentos médicos ou odontológicos;
  • falha de esterilização de equipamentos de manicure;
  • reutilização de material para realização de tatuagem;
  • procedimentos invasivos sem os devidos cuidados de biossegurança;
  • uso de sangue e seus derivados contaminados;
  • relações sexuais sem preservativos;
  • e, menos comum, pela transmissão da mãe para o filho durante gestação ou parto.

Bom saber que não é transmitida por leite materno, por comida, água, abraço, beijo e compartilhamento de alimentos ou bebidas com pessoa infectada, o que ajuda muito na relação afetiva e possibilita a minimização de estresses durante o tratamento.

A Woson é uma empresa fabricante de equipamentos odontológicos especializados em biossegurança, como autoclaves, seladoras, destiladoras e lavadoras ultrassônicas, e com tal tem e assume suas responsabilidades. Uma de suas iniciativas é veicular em seu blog informações de qualidade, discutir protocolos e procedimentos padrões em Centrais de Materiais e Estilização (CME), como lavagem, empacotamento, esterilização e armazenagem de materiais utilizados em consultórios e clínicas conforme as orientações preconizadas pela ANVISA. Informações qualificadas são armas poderosas na luta contra quaisquer males que afligem a sociedade.

A Woson apoia o Dia Mundial da Luta contra as Hepatites Virais e a Campanha Julho Amarelo e acredita em sua contribuição quando coloca à disposição dos usuários produtos, tecnologia, informações e conceitos de biossegurança e controle da infecção alinhados com o que há de mais avançado nos ambientes de tratamento da Saúde.

WOSON

A saúde como missão.


 

Escrito por:

  • Depoimento - Waldomiro Peixoto
    Waldomiro Peixoto
    Consultor Técnico Woson
Decreto Municipal de Ribeirão Preto Nº118 - 24 de maio de 2021 Links Úteis