Saúde Bucal e Relações com Doenças Sistêmicas

Em um tempo quando a tecnologia, o conhecimento e a busca constante pela saúde ganham importância, a manutenção da boca saudável – bem como seus órgãos, dentes, língua e glândulas salivares – pode ser mais salutar do que se imagina.

Cuidados especiais com a Cavidade Oral estão muito além da cárie dental, problemas gengivais (Gengivites e Periodontites, com ou sem sangramento), pois a manutenção da saúde bucal evita muito mais que essas patologias, mas previne doenças sistêmicas que acometem desde simples artrites, infecções, como reumatismo infeccioso e até problemas cardíacos graves que podem, inclusive, levar à morte. (Endocardite Bacteriana).

O primeiro estudo do Ministério da Saúde sobre a saúde bucal, realizado em 2003, apontou que quase 27% das crianças de 18 a 36 meses apresentaram pelo menos um dente com cárie e a proporção chegou a quase 60% na faixa de 5 anos. Isso equivale, no indicador CPO (Cariados, Perdidos e Obturados), a marca de 2,8.

Já em 2010, na segunda edição do levantamento, este índice caiu para 2,1. Com o resultado, o Brasil entrou para a lista de países com baixo indicador, que têm indicador CPO entre 1,2 e 2,6, de acordo com a classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A negligência com a saúde bucal é comum por grande parte da população brasileira, que muitas vezes prioriza e valoriza mais investir em bens materiais do que necessariamente na saúde, bem como o comportamento familiar de se fazer compreender que a saúde da boca traz consequências ao nosso corpo promovendo doenças, como se tivesse pouca ou nenhuma importância.

É importante frisar que a profissão de Cirurgião-Dentista em alguns países é especialidade dos cursos de Medicina e não uma formação paralela em seus bancos universitários. Os profissionais formados são médicos e se especializam em Odontologia, portanto, é impossível dissociar a profissão de Cirurgião-Dentista com a saúde geral de um indivíduo ou de uma população, pois muitas doenças sistêmicas apresentam sinais e sintomas com manifestações na Cavidade Oral, muitas vezes em estágios precoces.

Outro ponto importante é ressaltar que a boca é a porta de entrada de diversas patologias, que vão muito além de cáries, problemas gengivais, gengivites, Periodontites e as tradicionais aftas. Câncer e infecções cardíacas provenientes de bactérias bucais são os problemas mais graves que podem afetar um indivíduo podendo ser prevenidos ou precocemente diagnosticados por um Cirurgião-Dentista.

Além dos problemas mais comuns encontrados na boca, pode haver surgimento de outras patologias, complicando a saúde em geral. A evolução desses problemas pode levar à intensificação da dor, perdas de dentes e de tecidos de suporte do dente, inclusive do osso, causar as Osteomielites, que são doenças ósseas de difícil controle, com necessidade de tratamento cirúrgico e de grande estatística de recidiva.

Há, ainda, aqueles que não se dedicam à saúde da boca, com visitas periódicas ao seu Dentista, e que também podem possuir alguma patologia, como tumores benignos ou malignos, cistos ou doenças desencadeadas por vírus, fungos e bactérias que afetam os tecidos bucais.

Não esqueçamos que as complicações também refletem diretamente no bem-estar psíquico social do indivíduo ou de toda uma comunidade. A exemplo do reflexo na procura de emprego no que diz respeito à estética do sorriso, e ao perfil do rosto, sem contar a dificuldade social em relacionamentos afetivos e sociais.

Em décadas passadas, os trabalhos científicos mostravam um perfil de risco e a influência direta das doenças da boca, na relação com as doenças de nosso organismo. Hoje já se sabe que o risco depende de vários fatores associados, como doenças pré existentes, fatores familiares de herança genética e também dos hábitos pessoais de cada indivíduo, aliados à alimentação, prevenção, e vida sedentária, sem contar o estresse, hoje a doença do século que leva à depressão e estima-se que vai afetar mais de 450 milhões de pessoas em todo o mundo.

Após todos esses questionamentos é inevitável dizer que a consulta periódica e regular ao Cirurgião-Dentista, a promoção da saúde bucal desde os primeiros meses de vida, sim, dos primeiros meses, é de fundamental importância para a prevenção também dos problemas de saúde.

Uma boa higiene bucal deve ser precedida do uso de fio dental, escovação dentária 3 vezes ao dia (ideal após as refeições) e qualquer sinal ou sintoma como sangramento, mau hálito, identificação de placa bacteriana, cálculos dentários visíveis junto às margens gengivais merecem a visita ao Cirurgião-Dentista para o devido tratamento e prevenção de problemas de saúde.

Lembremos de viver intensamente, e que fazer exercícios físicos, alimentação balanceada, equilíbrio familiar e social são atitudes que contribuem para que nossa vida seja mais profícua e saudável.

Dr. Sergio Luiz Vespoli

  • Depoimento - Dr. Sergio Luiz Vespoli
    Dr. Sergio Luiz Vespoli
    Cirurgião-Dentista Especialista em Odontologia, Áreas de Concentração, Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial (CTBMF), Dor Orofacial e Endodontia (Tratamento de Canais Dentários)