Qual a Diferença de Resultados na Esterilização entre Vapor Gravitacional e Vapor Injetado

Os 3 Pilares da esterilização de materias para área de saúde.

Um processo de esterilização de materiais para a Saúde tem 3 pilares: pressão (a vapor), temperatura e tempo. Por exemplo, um produto é esterilizado dentro da câmara de autoclave quando submetido a pressão de 210 kPa (ou 2,1Bar), temperatura de 134°C, durante 210 segundos.

O vapor utilizado para um processo de esterilização é o saturado. Didaticamente pode-se dizer que a saturação da água e do vapor ocorre em temperatura e pressão em que vapor e água podem coexistir no mesmo ambiente fechado. O vapor decorre de um processo físico em que haja mudança de estado líquido para gasoso, aos 100 °C. Ao haver troca térmica, aumentam-se o grau de agitação das partículas e a pressão interna, tornando as ligações mais instáveis entre as moléculas de água. Este ponto de instabilidade é conhecido como “ponto de ebulição”.

A resistência elétrica da autoclave se aquece, aquece a câmara de inox e esta, por contato, aquece a água até atingir o ponto de ebulição (100°C) e mudar para estado gasoso. O gás, ou vapor, expande-se dentro da câmara de inox 100% vedada e cria pressão. O calor latente contido no vapor é transferido para os materiais (que devem ser termo resistentes) envelopados ou empacotados e dá início ao processo de esterilização quando os 3 pilares atingem os valores do primeiro parágrafo.

Nas autoclaves Classe N ou gravitacionais, a água destilada é colocada diretamente dentro da câmara de inox, que submerge a resistência, aquece-se, atinge o ponto de ebulição (100°C), gera vapor, aumenta a pressão até atingir 210 kPa, temperatura de 134°C e submeter o material a esterilizar durante o tempo determinado pelas Normas Técnicas para eliminação das formas microbianas de vida.

Nas autoclaves Classe B ou pré-vácuos, a água destilada (ou purificada por osmose reversa) é submetida a uma máquina de vapor por pulsos tipo PWM (Pulse-Width Modulation, sigla em inglês) fora da câmara de inox, onde produz vapor saturado a ser injetado dentro da câmara de inox. Ao mesmo tempo uma bomba de vácuo atua e gera pressão negativa de 80 kPa dentro da câmara de inox, quando ocorre uma abertura de válvula e a consequente injeção de vapor dentro dela.  

Esse processo de pressão negativa e injeção de vapor, simultâneos e conjugados, se repete 3 vezes, antes de entrar na fase de esterilização, para retirar bolhas de ar da câmara de inox. Sem bolhas de ar e com o vapor inoculado em sua estrutura profunda, as cargas adquirem condições satisfatórias para iniciar a fase de esterilização. Depois do 3° pré-vácuo, a pressão positiva atinge 210 kPa, 134°C e, durante 210 segundos, ocorre a fase de esterilização, seguida da secagem absoluta a vácuo e admissão de ar quebra-vácuo via filtro bacteriano.

Gráfico do Processo Classe B

                                                             

1-2 Pré-Aquecimento. 2-3 Pré-Vácuo. 3-4 Esterilização. 4-5 Dreno -> Reservatório. 5-6 Secagem. 6-7 Entrada de Ar Filtrado 7 Ciclo Completo.

Quais as vantagens da esterilização a vácuo com vapor saturado, nas autoclaves Classe B Pré-Vácuo?

 Esterilização garantida pelo fato de as cargas terem sido submetidas à autoclavagem em condições ideais; universalidade de materiais autoclaváveis disponíveis no mercado (têxteis, ocos, canulados, borrachas, rugosos, articulados, superfícies diamantadas, peças-de-mão com engrenagens, dutos e rolamentos) pela ação direta do vapor potencializada pelo vácuo; mais pureza de vapor pelo sistema de injeção, resultando em conservação dos instrumentos metálicos e peças-de-mão; possibilidade de aplicação de testes Bowie & Dick, Helix e leak-test; secagem absoluta a vácuo com porta fechada, associada à admissão de ar pelo filtro bacteriano de alta densidade, assegurando a esterilidade do material autoclavado;  e ganho de tempo decorrente de ciclos mais rápidos. Tudo isso, além de registro eletrônico de dados e emissão de relatórios que facilitam a gestão de materiais.

Somente as autoclaves Classe B entregam resultados de esterilização que garantem segurança absoluta para profissionais e pacientes, indispensáveis nas especialidades cujos procedimentos sejam considerados altamente desafiadores e críticos.

Woson

Biossegurança com responsabilidade

Saiba mais:https://youtu.be/6KbSAIyiwGE

Escrito por:

  • Depoimento - Waldomiro Peixoto
    Waldomiro Peixoto
    Consultor Técnico Woson