A escolha da autoclave ideal

O que levar em conta na escolha da autoclave ideal para um consultório odontológico?

A autoclave é o componente mais importante de um sistema de biossegurança e controle da infecção, em um Centro de Esterilização (CE). É neste contexto que a decisão de escolha deve ser bem criteriosa.  

E que conjunto é esse a ser considerado?

Em primeiro lugar, considerar a especialidade odontológica do profissional para saber quais são suas reais necessidades de esterilização. Por exemplo, um especialista em Ortodontia tem necessidades diferentes das de um Implantodontista.  Outra consideração é o quão exigente é um profissional em termo de Controle de Infecção e está disposto a investir na segurança de seus pacientes. São inúmeras variáveis a considerar, por isso a Woson produz autoclaves da Categoria N, conhecidas como gravitacionais, mais simples e mais compactas. E autoclaves da Categoria B, conhecidas como pré-vácuos, para profissionais que queiram investir no melhor e mais avançado, em termos de tecnologia de biossegurança. Uma delas, gravitacional ou pré-vácuo, poderá atender ao perfil do profissional.

Em segundo lugar, Controle de Infecção é ponto central no exercício da Odontologia e requer estudos e cuidados especiais e específicos. É conceito bastante aberto e leva em conta inúmeros procedimentos também fora doCentro de Esterilização, como o projeto e a construção do espaço físico destinado à prática da clínica odontológica, o correto dimensionamento da rede de ar comprimido, do sistema de sucção, da rede elétrica, do sistema de iluminação, da ergonomia dos equipos odontológicos e áreas de apoio, da sala de raios-x e revelação, da ventilação, da entrada de luz natural e da circulação de pessoas – pacientes e acompanhantes, equipe de limpeza e manutenção, funcionários e profissionais. Por tantos motivos, vê-se que o Controle de Infecção exige uma estrutura complexa e, neste sentido, tudo faz parte da biossegurança geral da clínica ou do consultório. 

Em terceiro lugar, dentro do universo da biossegurança, o planejamento do CE, onde especificamente se encontram a autoclave e outros equipamentos que participam do Protocolo de Controle de Infecção, pede uma consideração à parte. Tem-se que levar em conta a circulação do material contaminado e sua saída em condições estéreis e ideais para reutilização, com toda a segurança possível para profissionais e pacientes. Levar em conta a entrada de material contaminado para, em um primeiro momento, se fazer o expurgo de sujidades e descartáveis. Prever paredes revestidas com cerâmica ou outro material com a mesma finalidade, bancada de granito com pia profunda e água corrente com jato abundante para pré-lavagem dos instrumentais. Prever local para lavadoras ultrassônicas, lupas e luminárias, destiladoras de água, seladoras com suportes para papel grau cirúrgico, áreas de empacotamento e selagem, espaço e instalação adequados para autoclaves, locais frescos e apropriados para gestão e armazenamento de material estéril embalado, acondicionamento de desinfetantes, sabões e detergentes, escovas e buchas. Locais adequados para embalagens, fitas, indicadores químicos e biológicos, equipamentos de proteção individual e material de limpeza, etc.

Em quarto lugar, é importante o treinamento da equipe que realiza o controle de infecção, para que todos individualmente conheçam todas as fases do Protocolo de Controle de Infecção, como uma corrente de ações conectadas entre si. Essa corrente nunca é mais forte que seu elo mais fraco. Quando uma fase do protocolo não é bem-feita, rompe-se a cadeia de proteção de profissionais e pacientes e todo o processo de controle da infecção se compromete.

Qual é a autoclave ideal?

É aquela que atende integralmente todas as necessidades da especialidade dos profissionais, levando em conta sua segurança absoluta e a de seus pacientes, além de produtividade, robustez, vida útil, baixo custo de manutenção, praticidade de uso, pós-venda adequado e a certeza de que esteja oferecendo a seus pacientes a melhor tecnologia de biossegurança. Para cada perfil, a Woson tem um produto.

Se a um profissional basta a esterilização de materiais embalados sólidos, a sua autoclave pode ser uma Gravitacional Classe N, a exemplo da Dolphin ou da Tanda Color.

Se a clínica utiliza materiais como ocos e canulados em profusão, materiais porosos, tecidos como panos e algodões, muitos campos de borracha, a sua autoclave ideal tem que ser uma pré-vácuo Classe B, como uma Tanda B, Tanzo Classic ou Tanzo Touch.

Se o profissional atua principalmente com especialidades muito críticas, como periodontia ou implantodontia, e precisa de ciclos rápidos de esterilização de instrumentos de pequena dimensão, kits cirúrgicos ou canetas de alta rotação e contra ângulos, seu produto poderá ser uma pré vácuo de 2 litros, com gaveta tipo cassete, a exemplo da pré-vácuo New Tancy Digital.

Se o seu Centro de Esterilização tem alta demanda, com diversidade de material em grande quantidade, sua autoclave ideal pode ser uma pré-vácuo Classe B, como aTanvo 45 litros, recomendada para Clínicas Integradas, Laboratórios, Faculdades e Hospitais.

Como funcionam as autoclaves gravitacionais e as pré-vácuos?

As gravitacionais são as tradicionais autoclaves da geração anterior. São abastecidas com água destilada ou bidestilada diretamente dentro das câmaras de inox. Não armazenam líquido destilado em reservatórios para evitar o comprometimento de sua pureza, por ficar sem utilização por dias seguidos. Possuem resistência dentro da câmara de inox para aquecimento do líquido destilado por contato direto. Este líquido se transforma em vapor e gera pressão de 121°C ou 134°C, conforme a carga a esterilizar. O modelo Dolphinn é um modelo básico e seca com porta semiaberta. O modelo Tanda Color já possui tecnologia mais completa e seca automaticamente com porta fechada. Possui sistema de retirada de bolhas de ar das cargas, dando mais eficácia na esterilização nos pontos centrais dos pacotes, além de regulagem manual do tempo de secagem ampliado para até 60 minutos.

As pré-vácuos Woson são a última geração em autoclaves. São abastecidas com água destilada ou bidestiladas em reservatório na parte externa superior, dotado com sensor monitor da qualidade e pureza do líquido. O líquido destilado alimenta uma bomba de vapor que o injeta dentro da câmara de inox. Possuem bomba geradora de vácuo que cria pressão negativa dentro da câmara para potencializar a penetração do vapor no interior da carga e aumentar a eficiência de esterilização da mesma em sua estrutura profunda. Opera também com temperatura de 121°C ou 134°C. Sua fase de esterilização é mais rápida e eficaz. Seca com porta cerrada através de bomba de vácuo. Além de as pré-vácuos serem mais universais que as gravitacionais, elas ainda possuem testes Bowie & Dick, Helix e Vácuo e programa Príon. Sua conexão USB permite registro de todas as fases do ciclo de 30 em 30 segundos e emissão de relatórios, em pendrive, ou conexão matricial para cabo diretamente em impressoras externas. Possuem ainda slot para impressora opcional incorporada ao equipamento que emite relatórios, fase a fase, em tempo real.

Enfim, as pré-vácuos Categoria B destinam-se a profissionais exigente e preocupados com a segurança de seus pacientes e oferecem o que há de melhor e mais completo em controle de infecção e biossegurança.

Seja gravitacional ou pré-vácuo, na linha de autoclaves Woson o odontólogo terá à sua disposição o melhor em cada categoria, com condições comerciais compatíveis.  

Dúvidas?

Preencha todos os campos de seu cadastro, neste site, e formule suas perguntas que a Woson entra em contato com você.