A Prevenção é um Ato Social e de Amor

A Prevenção É Um Ato Social E De Amor

O cirurgião-dentista é o profissional que atua diretamente na cavidade oral do paciente. Quando utiliza instrumentos e materiais, o normal é receber estes já prontos para uso de outros profissionais.  Alguém faz isso antes por ele.

Os cuidados gerais com biossegurança, ou específicos com controle de infecção, no local de procedimentos orais, foram tomados, comumente, pelas pessoas que trabalham em contato direto com o CME – Centro de Materiais e Esterilização. É um trabalho de equipe.

É exatamente por este motivo que o CD precisa conhecer detalhadamente tudo quanto possível sobre o tema ‘Biossegurança e Controle de Infecção”, por um simples motivo: quem conhece sabe cobrar, exigir a forma correta de fazer e de proceder, sabe e tem autoridade para orientar o pessoal auxiliar. Lembrar sempre que o CD é o responsável por proteger todos – a si mesmo, sua equipe de trabalho e seus pacientes – dos perigos de contágio e contaminação de forma restrita ou ampla.

Nunca é demais lembrar que todos – CD, equipe de apoio e pacientes – têm famílias e pessoas de relacionamento próximo. Daí a importância de todos saírem do consultório protegidos pelos cuidados que recebem durante o trabalho e, no caso dos pacientes, durante o tratamento.

O que mais se ouve neste período de Pandemia da Covid-19 são os cuidados preventivos com os fluidos orais, entre eles o espirro. A boca e as mãos estão no olho do furacão que contamina outras mucosas, objetos e superfícies que potencialmente disseminam contágio e contaminação. Então, os profissionais que atuam na Odontologia, especialistas em cavidade oral, adquirem importância fundamental.

Sem nos determos em detalhes, para não alongar, lembramos que, além dos pessoais, os cuidados passam por máscaras cirúrgicas, desinfetantes de superfícies e antissépticos, lenços descartáveis, pias adequadas, sabonetes líquidos, luvas, óculos, protetores faciais, gorros, aventais, macacões de proteção, caixas perfurocortantes, ambientes de isolamento para casos especiais, técnicas corretas de lavagem das mãos, braços e rosto, descarte ou esterilização de paramentos, cuidados com anéis, pulseiras e similares e, por fim, equipamentos e instrumentais. Todos e tudo fazem parte de uma abrangente cadeia.

Em tempos de pandemia, atentar para uma sala-de-espera com espaçamento e disposição dos móveis planejados de modo a contribuir com distanciamento entre pessoas; considerar cuidados com cumprimentos e demonstração física de afetividade; prever ambiente ventilado, entrada de luz natural, superfícies adequadas e planejadas para facilitar limpeza e desinfecção, limpeza e desinfecção também dos equipamentos, principalmente mangueiras, rede de água, de ar comprimido, filtros e manutenção de ar condicionado.

Pede-se especial atenção para a esterilização em autoclaves de alta rotações e contra ângulos, peças altamente retentivas de matéria orgânica e que requerem, antes da esterilização, cuidados e técnicas especiais de limpeza e desinfecção. Da mesma forma, atenção com barreiras, como botões de acionamento, alças de refletores, encostos de cabeça e braços da cadeira, camisinhas adequadas nas pontas, seringas e sugadores.

Considerar a utilização de sucção de alta potência para sensível minimização dos efeitos contaminadores da microbiota em suspensão proveniente de aerossóis dos instrumentos rotativos, jatos da seringa e pontas de profilaxia.

O assunto já foi abordado, mas sempre é bom lembrar que um CME bem planejado deve prever o ambiente sujo separado por barreira física do ambiente limpo, ter área suficiente para lavagem manual ou mecânica, seguida de lavagem ultrassônica e inspeção visual, embalagem, selagem, rotulagem com identificação, esterilização. O CME é o centro onde se excutam os fundamentos de um processo de controle de infecção e como tal deve ser um facilitador de rotinas biosseguras.

O local de armazenamento do material estéril deve ser seco, ventilado e facilitador da gestão do armazenamento. Isso também contribui para a rotina biossegura. 

Como palavra final, lembramos da importância de rotina planejada para os profissionais – CD, equipe de apoio e pessoal administrativo – adentrarem no ambiente de trabalho e saírem no final do expediente, sem se esquecerem que, a partir deste momento, o relacionamento com outras pessoas ‘extramuros’ continua.

Estes cuidados são um ato social, mas também, um ato de amor. 

Waldomiro Peixoto

  • Depoimento - Waldomiro Peixoto
    Waldomiro Peixoto
    Consultor Técnico da Woson