Dia Internacional das Ciências da Esterilização.

Esta data foi instituída pela Federação Internacional de Esterilização (WFHSS – World Federation for Hospital Sterilisation Sciences) para que haja conscientização da importância dos CME’s – Centros de Materiais e Esterilização – em ambientes de tratamento da saúde. Sejam em hospitais, centros cirúrgicos, postos de saúde, clínicas integradas, consultórios etc.

Entender e incorporar as corretas práticas nos CME’s, com embasamento técnico e consciência científica, é um compromisso e desafio de todos os profissionais que trabalham direta ou indiretamente na área de reprocessamento de Dispositivos Médicos Reutilizáveis ​​(RMD) usados ​​em instalações de saúde.

Na Odontologia, a consciência da necessidade de priorizar CME’s é cada vez mais presente e o planejamento de novas clínicas mostra nitidamente que as rotinas de controle de infecção e os procedimentos operacionais padrão nestas unidades de processamento vieram para ficar e já fazem parte da cultura de odontólogos e equipes, nas últimas gerações.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, ANVISA, preocupada há muito com o tema, tem resoluções colegiadas específicas, fundamentadas na ciência da esterilização, a exemplo da RDC 15 de março de 2012 e da RDC 585 de dezembro de 2018, ainda sob consulta pública.

A RDC 15 dispõe sobre requisitos de boas práticas para o processamento de produtos em serviços públicos de saúde públicos e privados, civis e militares, empresas processadoras e estabelece legal e oficialmente tais requisitos “para o funcionamento dos serviços que realizam o processamento de produtos para a saúde visando à segurança do paciente e dos profissionais envolvidos.”.

A RDC 585, de dezembro de 2018, também trata da “segurança do paciente, dos profissionais, do meio ambiente e da coletividade”, ampliando, assim, ações e normas e aplicando-as a todas “as pessoas jurídicas e físicas, de direito privado ou público, civis ou militares cujas atividades envolvam a execução de quaisquer etapas do processamento de produtos utilizados na assistência à saúde no país.”.

Com embasamento técnico e científico, tais resoluções disciplinam e dão transparência a termos fundamentais nos CME’s como barreira técnica, cargas de maior desafio, ciclos de vapor, consultório autônomo, níveis de desinfecção, dispositivos médicos, empresas processadoras, planos de gestão de qualidade, técnicas de limpeza e lavagem de instrumentos, criticidade de produtos, processamento e complexidade de produtos, qualificação e requalificação de instalação, operação e desempenho, rastreabilidade, reponsabilidade e afins.

Dada a complexidade dos processos que visam a esterilização de produtos, a RDC 585 classifica as unidades de processamento em 3 tipos: I – área destinadas ao processamento em consultórios autônomos, bancadas setorizadas, endoscopia 1 e ambientes compartilhados; II – apoio a serviço ambulatorial, pequenos procedimentos, endoscopia tipo 2 e 3, hemodiálise, oftalmologia e unidades satélites; e III – apoio a internação hospitalar e centros cirúrgicos.

A Woson é uma empresa que tem expertise na fabricação de equipamentos odontológicos, em geral. Um de seus focos é a fabricação de autoclaves de bancada de até uma UE (Unidade de Esterilização), classificadas pela Norma Internacional EN13060:14 como “small sterilizers”. Fabrica também periféricos, como lavadoras ultrassônicas, destiladoras ou purificadoras de água, seladoras, todos destinados aos CME’s em geral, levando em conta o que há de mais avançado em tecnologia de ponta.

A autoclave, a rigor, é um dos atores principais nos CME’s. Como tal, é uma das principais preocupações das ciências da esterilização. Os Procedimentos Operacionais Padrão (POP), determinados pela ANVISA e aplicados nestes centros de controle da infecção, têm nas autoclaves um de seus principais pilares. 

A linha de autoclaves Classe B, que opera com pré-aquecimento, bomba de vácuo para retirada de ar das cargas de maior desafio e secagem no final do processo, injeção de vapor seco e registro eletrônico de processos é uma das principais frentes da Woson, com parâmetros de segurança aferidos pelos testes Bowie & Dick, conforme as mais exigentes e avançadas diretrizes internacionais.

A Woson, desenvolvendo produtos conforme os padrões de qualidade internacionais, contribuindo com a disseminação de informações técnica e cientificamente qualificadas e apoiando todos as inciativas da Federação Internacional de Esterilização, acredita estar contribuindo com as melhores práticas nos CME’s e com as ciências da esterilização.

Woson

Biossegurança responsável

Escrito por:

  • Depoimento - Waldomiro Peixoto
    Waldomiro Peixoto
    Consultor Técnico Woson